Partilhar
Partilhar em:

Como eliminar as estrias com laser

Como eliminar as estrias com laser

As estrias são linhas antiestéticas que aparecem na nossa pele. Podem ser vermelhas ou brancas, dependendo do seu estado, mas não costumam ser dolorosas. As zonas mais comuns onde costumam aparecer incluem a barriga, os glúteos, as coxas e os seios, pois a sua formação é provocada por uma rotura de tecidos e, por isso, a sua aparência é semelhante a uma cicatriz. Mas, como tirar as estrias? Possivelmente você ouviu que não existe um tratamento para elas e que a única solução é o laser. Nesse artigo do umCOMO, explicamos como eliminar as estrias com laser!

Também lhe pode interessar: Como clarear as mãos

Causas das estrias

As estrias são um problema antiestético tanto em homens como em mulheres. a pele é o órgão mais elástico do corpo humano, mas essa elasticidade pode ser comprometida quando é demasiado esticada. As estrias são formadas quando a pele é esticada excessivamente, produzindo uma rotura de tecido. As fibras de colágeno e a elastina da derme rompem e, por isso, surgem sob o formato de uma cicatriz.

Quando aparecem, as estrias possuem uma cor vermelha ou arroxeada devida à irrigação sanguínea e a pessoa pode sentir coceira na zona, sendo conveniente que não se coce. Depois de algum tempo as estrias tornam-se brancas, quando já estão instauradas na pele e já cicatrizaram, sendo esse motivo pelo qual as estrias brancas são as mais difíceis de tirar. Quando uma estria se forma, o pelo dessa zona desaparece. Não existe uma idade em para aparecerem, podendo surgir desde muito cedo, mas existem algumas situações ou fatores que favorecem a sua formação:

Gravidez

São as estrias mais conhecidas. Durante a gravidez, o corpo da mulher muda. O abdômen estica de acordo com o crescimento do bebê e é muito comum que se formem estrias nesta zona.

Contudo, as estrias não aparecem apenas na barriga, uma vez que o corpo sofre mudanças e o mais provável é que a mulher aumente de peso e a pele estique em zonas como as coxas, os glúteos ou mesmo os braços e os joelhos.

Mudanças de peso repentinas

As mudanças de peso dramáticas fazem com que a pele estique e encolha demasiado depressa, provocando essa rotura de fibras. Quando uma pessoa engorda ou emagrece repentinamente, a pele não tem tempo para se adaptar à sua nova condição.

Crescimento

Durante o desenvolvimento das crianças, mais concretamente na puberdade, ocorrem as maiores mudanças no corpo e, quando ele estica de um jeito muito acelerado, a pele não lhe dá tempo suficiente para se adaptar, formando as estrias.

Estresse

O estresse pode favorecer o aparecimento de estrias, uma vez que esta patologia diminui a qualidade do sistema imunológico, sendo repercutida nas defesas do nosso organismo como as proteínas, que se alimentam de colágeno e elastina. Além do estresse, a produção de cortisol, uma hormona que controla o uso de carboidratos, gorduras e proteínas por parte do corpo, aumenta. Isto favorece o aparecimento de estrias devido, sobretudo, a aumentos de peso.

Algumas doenças hormonais

Algumas doenças podem provocar estrias, como é o caso da doença de Cushing. É uma patologia em que a hipófise (glândula do cérebro que pertence ao sistema endócrino) libera demasia corticotropina que estimula a produção e secreção de cortisol. Como visto antes, esta hormona controla o uso de carboidratos, gorduras e proteínas. Nesta doença, são produzidas alterações na pele como acne ou estrias.

Alergias e medicamentos

Existem determinadas alergias que podem provocar problemas de pele, como marcas ou mesmo estrias.

Os medicamentos que contêm cortisona não podem, apenas, provocar mudanças na pele, mas também aumentam a retenção de líquidos, fazendo com que o corpo inche repentinamente e a pele se estique demasiado provocando estrias.

Predisposição genética

Alguns tipos de peles, pela sua predisposição genética, são propensos a formar estrias em várias partes do corpo, incluindo a cara.

Como evitar que se formem estrias na nossa pele

Para prevenir as estrias, o principal é manter a pele sempre muito bem hidratada. Quanto mais seca esteja a nossa pele, menos elasticidade terá e mais fácil será romper os tecidos. Quando você sabe que a sua pele vai esticar desmesurada ou repentinamente, o melhor é usar um creme específico ou muito hidratante. Por exemplo, se você está grávida é muito comum que recomendem que você hidrate a pele do abdômen para evitar possíveis estrias. Existem alguns produtos específicos para esse efeito.

Também pode ocorrer em algumas operações estéticas como uma mamoplastia de aumento (aumento de peito). Ao introduzir implantes na pele, a pele cede e, por isso, o ideal é usar cremes anti-estrias ou muito hidratantes na zona. Além disso, ao princípio os seios ficam inchados pela operação e, depois diminuem, o que provoca mudanças drásticas na pele.

É essencial hidratar a pele e estimular a produção de colágeno e elastina que vai oferecer essa hidratação internamente. Como as estrias são formadas nas camadas internas (embora sejam visíveis na camada externa da pele, a hidratação deve ser contínua e profunda.

Se vai fazer uma dieta, também é recomendado que você aposte numa hidratação extra, embora o normal seja variar de peso pouco a pouco e o corpo mudar gradativamente.

Eliminar as estrias com laser

Eliminar as estrias é algo muito complicado, uma vez que é difícil recuperar a rotura interna da pele e, sobretudo, as brancas que não possuem circulação sanguínea e, por isso, não têm fibroblastos. Contudo, um jeito de eliminar as estrias atualmente é através do tratamento laser.

Os lasers mais indicados são aqueles que trabalham sobre os fibroplastos e facilitam a estimulação de novo colágeno. O tratamento é indolor e não é invasivo, não requerendo qualquer tipo de preparação ou anestesia. Algumas sessões conseguem melhorar a aparência das estrias tanto em formato e textura como em cor. O número de sessões necessárias depende da gravidade e profundidade das lesões.

A luz do laser penetra a pele e gera uma hiperemia (aumento de sangue) nas capas profundas da mesma e a hiperemia estimula a produção de fibroplastos.

Existem dois tipos de laser, dependendo do tipo de estria. Se é vermelha e está na sua fase inicial, é possível usar o laser de corante pulsado. Com esta técnica, a energia do laser é captada só pela hemoglobina do sangue e, assim, faz com que os vasos sanguíneos fechem sem prejudicar os tecidos adjacentes. É um procedimento seguro e praticamente indolor, não requerendo anestesia. É muito rápido, cada sessão dura apenas uns minutos e, em duas sessões, é possível eliminar as estrias avermelhadas.

No caso das estrias brancas, é usado o laser fracionado não ablativo, também usado para remover cicatrizes. Este tipo de laser emite feixes de luz que impactam a derme diretamente sem prejudicar a superfície da pele, não provocando crostas ou feridas. A luz do laser sobre a derme faz com que a temperatura da zona aumente, provocando um estímulo para que sejam formadas novas fibras de colágeno e elastina para que as antigas sejam realinhadas. A restruturação progressiva das fibras de colágeno e elastina da derme faz com que as estriam melhorem notoriamente à medida que o tratamento avança. requer várias sessões para que os efeitos sejam visíveis, mas cada sessão dura apenas alguns minutos, dependendo das estrias que a pessoa tem.

É necessário ter em conta que, seja qual for o tipo de laser, pode provocar vermelhidão na zona durante alguns dias (contudo, costuma desaparecer sozinho). Além disso, existem algumas contraindicações no uso do laser para as estrias, como é o caso de mulheres grávidas, pessoas que têm pacemaker ou alguma infecção grave ou antecedentes de câncer.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como eliminar as estrias com laser, recomendamos que entre na nossa categoria de Beleza e Cuidados Pessoais.

Comentários (0)

Escrever comentário sobre Como eliminar as estrias com laser

O que lhe pareceu o artigo?

Como eliminar as estrias com laser
1 de 2
Como eliminar as estrias com laser